Plano de Ensino
Curso: 294 - FILOSOFIA  
Disc.: 07376 - HISTÓRIA DA FILOSOFIA NO BRASIL E NA AMÉRICA LATIN
Período: 2023A

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
BEORLEGUI, Carlos. Historia del pensamiento filosófico latinoamericano: una búsqueda incesante de la identidad. 3.ed. Bilbao (Espanha): Universidad de Deusto, 2010. 895 p. (Serie filosofia;). ISBN 978-84-7485-941-6.
VALESE, Rui; SCHNORR, Giselle Moura. Filosofia latino-americana e brasileira.
UTOPIAS Latino-americanas: política, sociedade, cultura.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
AQUINO, RUBIM SANTOS LEÃO; LEMOS, NIVALDO JESUS FREITAS DE; LOPES, OSCAR GUILHERME PAHL CAMPOS. HISTÓRIA DAS SOCIEDADES AMERICANAS. RIO DE JANEIRO: EU E VOCE, 1981. 400 P.
ZIMMERMANN, ROQUE. AMÉRICA LATINA O NÃO SER: UMA ABORDAGEM FILOSÓFICA A PARTIR DE ENRIQUE DUSSEL (1962-1976). 2. ED. PETRÓPOLIS: VOZES, 1987. 264 P.
DUSSEL, ENRIQUE. CAMINHOS DE LIBERTAÇÃO LATINO-AMERICANA. SÃO PAULO, SP: PAULINAS, 1985. V. (ESTUDOS E DABATES LATINOS-AMERICANOS; 6-8). ISBN 85-05-00150-8.
DUSSEL, ENRIQUE D. ÉTICA DA LIBERTAÇÃO: NA IDADE DA GLOBALIZAÇÃO E DA EXCLUSÃO. 3. ED. PETRÓPOLIS, RJ: VOZES, 2007. 671 P. ISBN 9788532621436.
DUSSEL, HENRIQUE D. FILOSOFIA DA LIBERTAÇÃO: CRÍTICA À IDEOLOGIA DA EXCLUSÃO. SÃO PAULO: PAULUS, 1995. 157 P. (COLEÇÃO PESQUISA & PROJETO.). ISBN 85-349-0296-8.
DUSSEL, ENRIQUE. MÉTODO PARA UMA FILOSOFIA DA LIBERTAÇÃO: SUPERAÇÃO ANALÉTICA DA DIALÉTICA HEGELIANA. SÃO PAULO, SP: LOYOLA, 1986. 292 P.
GOIZUETA, ROBERTO S. METODOLOGIA PARA REFLETIR A PARTIR DO POVO: E. DUSSEL E O DISCURSO TEOLÓGICO NORTE-AMERICANO. SÃO PAULO, SP: PAULINAS, 1993. 245 P.
BARRETTO, TOBIAS. CRÍTICA POLÍTICA E SOCIAL. RIO DE JANEIRO, RJ: RECORD, 1990. 272 P. (OBRAS COMPLETAS DE TOBIAS BARRETO).
MOREL, MARCO. FREI CANECA: CRISTIANISMO E REVOLUÇÃO. SÃO PAULO, SP: BRASILIENSE, 1987. 60 P. (ENCANTO RADICAL ; 80).
SANTOS, LUCIANO DOS. A IDENTIDADE DA AMÉRICA LATINA: O PROJETO INTELECTUAL DE LEOPOLDO ZEA. GOIÂNIA: 2016 DISPONÍVEL EM: HTTPS://EDITORA.IFG.EDU.BR/EDITORAIFG/CATALOG/VIEW/15/14/45-1 . ACESSO EM: 23 SET. 2020.
REGINA, JESUS EURICO MIRANDA. FILOSOFIA LATINO-AMERICANA E FILOSOFIA DA LIBERTAÇÃO: A PROPOSTA DE ENRIQUE DUSSEL EM RELAÇÃO ÀS POSIÇÕES DE AUGUSTO SALAZAR BONY E DE LEOPOLDO ZEA. CAMPO GRANDE, MS: 1992. 153 P. (SÉRIE REFLEXÕES SOBRE A AMÉRICA LATINA ; 3).
GONZÁLEZ CASANOVA, PABLO. HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA DA AMÉRICA LATINA:: IMPERIALISMO E LIBERTAÇÃO. SÃO PAULO, SP: VERTICE, 1987. 226P (VÉRTICE SUL ; 10). ISBN 8585068310.
COSTA, JOÃO CRUZ. CONTRIBUIÇÃO À HISTORIA DAS IDÉIAS NO BRASIL. 2. ED. RIO DE JANEIRO: CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA, 1967. 456 P. (RETRATOS DO BRASIL ; 56).
AS IDÉIAS FILOSÓFICAS NO BRASIL/ COORDENADOR ADOLPHO CRIPPA. SÃO PAULO, SP: CONVÍVIO, 1978. 3 V.
HOBSBAWM, ERIC JOHN. ERA DOS EXTREMOS: O BREVE SÉCULO XX: 1914-1991. 2. ED. (19ª REIMPR.). SÃO PAULO, SP: COMPANHIA DAS LETRAS, 2001. 598P. ISBN 84-7164-468-3.
JAIME, JORGE. HISTÓRIA DA FILOSOFIA NO BRASIL. SÃO PAULO, SP: VOZES, 2002. V.
ENZO BELLO. DIREITO E MARXISMO: TRANSFORMAÇÕES NA AMÉRICA LATINA CONTEMPORÂNEA - VOL. 3.
REGINA, JESUS EURICO MIRANDA. FILOSOFIA LATINO-AMERICANA E FILOSOFIA DA LIBERTAÇÃO: A PROPOSTA DE ENRIQUE DUSSEL EM RELAÇÃO ÀS POSIÇÕES DE AUGUSTO SALAZAR BONY E DE LEOPOLDO ZEA. RIO GRANDE DO SUL: CEFIL, 1992. 192 P.
SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS, 6., 1991 MAIO 22-24, MANAUS, AM.; NOGUEIRA, MÔNICA DE LIMA. ANAIS ... ED.101. MANAUS: IMPRENSA UNIVERSITARIA DA FUA, 1991. 321 P
GASSER-COZE, FRANÇOISE. A GRÉCIA DO PARTENON. RIO DE JANEIRO: OTTO PIERRE, 1978. 311 P. (GRANDES CIVILIZAÇÕES DESAPARECIDAS).
PAIM, ANTONIO FERREIRA; CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DO PENSAMENTO BRASILEIRO. BIBLIOGRAFIA FILOSÓFICA BRASILEIRA: PERÓODO CONTEMPORÂNEO (1931-1980). SALVADOR (BA): CDPB, 1987. 123 P.
SARMIENTO, DOMINGO FAUSTINO. D. F. SARMIENTO: POLÍTICA. SÃO PAULO, SP: ÁTICA, 1983. 208P (COLEÇÃO GRANDES CIENTISTAS SOCIAIS ; 35).

EMENTA:
Introdução ao pensamento latino-americano. Filosofia Colonial. A Ilustração na América Latina. O Ecletismo e o Espiritualismo na América Latina. O Positivismo na América Latina. Tendências Contemporâneas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
Unidade 1 - Há uma Filosofia Latino-americana?
1.1 América Latina
1.2 Grande questionamento - Há uma Filosofia Latino-americana?
1.3 Entrando na historia da América Latina e em seu pensamento

Unidade 2 - Pensamento Pré-colonias na América Latina
2.1 América Pré-colonial
2.2 O pensar pré colonial
2.2.2 Quetzacóatl
2.2.3 Nezahualcóyotl
2.2.4 Encontrando-se com os europeus

Unidade 3 - Filosofia Colonial
3.1 Os mecanismos da colonização
3.2 A Segunda Escolástica
3.3 Em defesa dos ameríndios.
3.4 No Brasil

Unidade 4 - Filosofia nos Processos de Formação dos Estados Latino Americanos
4.1 O Iluminismo nos processos de independência.
4.2 Simon Bolívar e sua concepção de América Latina.
4.3 No Brasil - Do Iluminismo ao Positivismo.
4.3.1 Frei Caneca
4.3.2 - Escola de Recife - Tobias Barreto
4.4 Para concluir

Unidade 5 - Século XX e Filosofia atual.
5.1 O esforço para construir um pensamento próprio - tentativa de afirmação do marxismo.
5.2 Buscando a história das ideias.
5.3 Surgimento da Teoria da Dependência
5.4 Uma Filosofia da Libertação
5.5 A filosofia pós-colonial na América Latina


OBJETIVOS:
Compreender, identificar e analisar o processo de formação das ideias que marcam a história da América Latina.
Refletir sobre essas ideias em seu momento histórico de modo a entender se há ou não uma filosofia latino-americana bem como as perspectivas desta filosofia.

INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:

Critérios para composição da Média Semestral:



Para compor a Média Semestral da disciplina, leva-se em conta o desempenho atingido na avaliação formativa e na avaliação somativa, isto é, as notas alcançadas nas diferentes atividades virtuais e na prova, da seguinte forma: Somatória das notas recebidas nas atividades virtuais, somada à nota da prova, dividido por 2.



Média Semestral: Somatória (Atividades Virtuais) + Nota da Prova / 2



Assim, se um aluno tirar 7 nas atividades e tiver 5 na prova: MS = 7 + 5 / 2 = 6



Atenção: o aluno pode conseguir um ponto adicional (Engajamento) na nota das atividades virtuais. Para ganhar o ponto do engajamento, o estudante terá que percorrer todo o material didático da disciplina (material textual e assistir a todos os vídeos), fazer todos os Exercícios e enviar todas as atividades. Antes do lançamento desta nota final, será divulgada a média de cada aluno, dando a oportunidade de que os alunos que não tenham atingido média igual ou superior a 7,0 possam fazer a Recuperação das Atividades Virtuais.



Se a Média Semestral for igual ou superior a 4,0 e inferior a 7,0, o aluno ainda poderá fazer o Exame Final. A média entre a nota do Exame Final e a Média Semestral deverá ser igual ou superior a 5,0 para considerar o aluno aprovado na disciplina.



Assim, se um aluno tirar 6 na Média Semestral e tiver 5 no Exame Final: MF = 6 + 5 / 2 = 5,5 (Aprovado).